O MacGuffin: Estará muito frio?

domingo, dezembro 19, 2010

Estará muito frio?

Dia 23 de Janeiro, um Domingo, se não estiver frio, provavelmente irei votar. Votarei em Cavaco Silva. Não que me entusiasme muito votar em Cavaco Silva. A Cavaco Silva sempre faltou uma patine de à vontade e sentido de humor, aliada a uma aura de grandeza intelectual (de cariz popular, não escolástica), que sempre apreciei noutros políticos de dimensão nacional. Aquela coisa difusa do carisma. Francisco Sá Carneiro, por exemplo (cuja personalidade e estilo absorvi a título póstumo). Ou Mário Soares - que, por muito que dele discorde e considere que as suas intervenções públicas, de há uns anos a esta parte, se tenham pautado por uma pitada de insanidade e por doses massivas de infantilidade, lhe reconheço graça e espirituosidade. Há em Cavaco Silva uma rigidez que é filha do receio, ainda que residual e não propriamente determinante para a composição da persona política, da gaffe e do deslize. Um quadro muito comum em gente tímida, mais reservada, mas acima de tudo em gente cuja vivência ou aprendizagem não muito «abrangente» e «multidisciplinar», não terá contribuído para a sedimentação de características de personalidade particularmente cativantes. Simplificando: o homem é um chato (um típico académico opaco), não se lhe reconhecendo grandes interesses, passe o pleonasmo, interessantes.

O que é que isto tem que ver com política? Muito pouco. Em política, outras características e valores tendem a suplantar os eventuais tiques maneiristas e acinzentados que pontuam uma personalidade desgraçadamente apática. Dito de outra forma, de pouco valerá um elaborado sentido de humor ou um grande à vontade na expressão oral, se se constatar que a praxis política evidencia anos e anos de uma lógica conjectural, de uma observação distorcida da realidade, de um módico de realismo, de recorrentes provas de deslealdade argumentativa e de uma propensão para o logro e para a intrujice. Aquela coisa da «seriedade», do «bom senso» e da «lucidez», têm um peso preponderante na minha escala de critérios. Cada um tem a sua pancada.

Cavaco Silva pode ser tudo isso: cinzento, chato, monocórdico no discurso e não muito brilhante na forma. Pode até ter uma ficha na PIDE declarando-se «integrado no sistema» (um episódio que levou a que moralistas e inquisidores, acompanhados pelas brigadas antifascistas, saíssem da sombra ou das tocas para produzir textozinhos abjectos). Mas é, também, outras «coisas»: um homem sério, realista, sabedor (ao contrário de outros candidatos, nos antípodas do bovarismo) e, graças a Deus, previsível. No meio da tempestade, é bom saber que podemos não ter o mais interessante dos faróis, mas calhou-nos em sorte um dos mais sólidos. Brindo a isso.

4 Comentários:

Blogger Margarida disse...

Aplauso. Claríssimo, desempoeirado e acertado.
Concordo com tudo, apenas não vou lá, nem que esteja um sol radioso e um calor dos trópicos.
O senhor já ganhou e apesar das razões apontadas, não gosto dele.
E como os outros também não me apaixonam, desta vez, fico em casa. Ou vou passear.

4:05 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

A minha hesitação é outra: votar em branco ou abster-me pela primeira vez.
Não voto em Cavaco porque nunca votei e nunca votei por o achar medíocre. Foi 1º ministro 10 anos. Acha-lhe algum legado? Algum cimento e mamarrachos.

A questão, meu Caro, é que se todos votássemos regidos por principios e pela nossas convicções e não para fazer o jeito pelo bem da nação - que, meses depois já é outro - talvez «isto» estivesse melhorzinho. Eu aposto.

2:00 da manhã  
Blogger MacGuffin disse...

Meu caro Anónimo,

A política é, também, a arte do possível, e só muito circunstancialmente a do ideal. Se estivermos à espera de homens providenciais, capazes de «legados» substanciais, bem podemos esperar sentados. Como disse, não sei se votarei. Mas entre o «tosco de Boliqueime» (o tal do betão e do macadame, que gostamos todos de criticar ao volante dos nossos automóveis em estradas e auto-estradas que ele, respectivamente, resgatou da condição de caminhos de cabras ou projectou e construiu) e o manicómio, não tenho como hesitar.

11:01 da manhã  
Blogger sofia disse...

Apesar de enunciar vários motivos que levariam qualquer cabeça sensata a rejeitar Cavaco Silva, a sua conclusão é, precisamente, que vai votar.... Cavaco Silva.

Há qualquer coisa de irracional nisto. Ou é o seu discurso, ou é o seu voto

9:39 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Powered by Blogger Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado sob uma Licença Creative Commons.