O MacGuffin: Toda a gente fala como se conhecesse várias soluções

sexta-feira, junho 29, 2012

Toda a gente fala como se conhecesse várias soluções

Miguel Esteves Cardoso, Público 29/06/2012

Há soluções ou não?

"No PÚBLICO de ontem li a cuidadosa reportagem de Isabel Arriaga e Cunha. Fiquei com saudades dos tempos, não muito remotos, em que nada sabíamos do que se passava nas instituições da União Europeia.

Vejo que Angela Merkel rejeita - volta a rejeitar - as "soluções fáceis". Porquê? Tornou-se um tique dizer-se que se devem recusar as soluções fáceis. Podem preferir-se as soluções difíceis. Mas rejeitar as fáceis, se são, de facto, soluções, parece - não há outra maneira de dizer isto - estúpido. 

As soluções fáceis, aliás, até são muito difíceis. A solução do problema do alcóolico que está a dar cabo do fígado é simples: deixar de beber álcool. A solução para o problema da obesidade também é fácil: é comer menos e fazer mais exercício.

A Sra. Merkel até é uma protagonista que se exprime com relativa clareza. Mas toda a gente fala como se conhecesse várias soluções para os problemas da zona euro e se pudesse dar ao luxo de escolher entre elas.

E se os problemas não têm solução? Se não tiverem, não interessa se seria fácil ou difícil, caso existisse. E se os problemas fossem uma quantidade gigantesca de problemas? Com soluções não só diferentes como antagónicas? Não pode haver uma solução fácil - nem difícil - para uma tal cabazada de problemas.

Mais à frente, leio que Alemanha, Holanda e Finlândia alegam que "não há soluções fáceis para a crise". Se não há, porquê recusá-las? É preciso ser-se muito tortinho. Já é perversão a mais."

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Powered by Blogger Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado sob uma Licença Creative Commons.