O MacGuffin: Torcemos

quinta-feira, maio 24, 2012

Torcemos

Miguel Esteves Cardoso, Público 24/05/2012

Como ela está

"Como está a Maria João? É a pergunta que mais me fazem. Há leitoras que ficam preocupadas ou zangadas quando não falo dela numa destas crónicas. Fale do que falar, estou sempre a falar dela. Faço tudo para falar doutra coisa, por causa dela, para não ser despedido por ser um chato e depois ficar sem dinheiro para tomar conta dela.
Vamos estabelecer um código. Se eu não falar da Maria João é porque ela não está a sofrer, senão de medo. Está bem. Até pode estar a pensar que vai ter sorte. Ri-se, chora e toma tanto conta de mim como eu dela. Faz as coisas que sempre fez só que às vezes, como disse ontem quando, em vez de jantar, lanchou chá, pão alentejano e queijos franceses de leite cru, "faço as coisas como se fosse morrer amanhã".
Isto porque, após duas semanas de pastéis de nata em série, em vez de continuar a emagrecer, desmagreceu dois quilos. Está sete quilos abaixo do peso ideal - é quando começa a sentir que está gorda. É um bom sinal. Infelizmente, quanto mais lhe dizem que está magra de mais, mais alegra. É a técnica dela de ficar magrinha: achar-se gorda. Eu também uso a mesma técnica mas comigo não funciona.
No fim deste mês saberemos se ela tem ou não outros tumores cancerosos. Torcemos para que não tenha. Depois, conforme os resultados, começarão outros tratamentos. É tudo uma questão de paciência, entrega aos especialistas e de uma mistura de sabedoria e de sorte. Seja qual for o nome que nós lhe dermos. Deus? Vocês?"

1 Comentários:

Blogger margarida disse...

... é tão bonito, tão maravilhoso, tão... especial, que parece irreal. Este amor, quero dizer. Este amor feito de osmose, de entrega-dádiva, de... 'totalidade'.
É tão tocante, que é impossível não nos comovermos, não amarmos esse sentimento dos dois e essa demonstração tão singela, tão carinhosa, tão querida e meiguinha, que lembra o toque de uma borboleta num dia de sol.
As palavras do Miguel fizeram sempre a diferença. Sempre.
E, neste capítulo sagrado (o Amor), iluminam com mais força do que em qualquer outro. Inspiram e animam: existe amor assim! Existe!
Por ele, amamos-la a ela e por ela, a ele; fazemos parte do seu círculo perfeito de forma silenciosa e sobretudo torcedora por essa vitalidade miraculosa que os une, que os completa, que os identifica.
A Maria João tem mais apoio do que imagina e o Miguel mais seguidores do que pensa.
Eles não estão sós.
Nunca estarão sós, haja o que houver.

10:29 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Powered by Blogger Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado sob uma Licença Creative Commons.