O MacGuffin: Unidade imaginária

sábado, setembro 06, 2014

Unidade imaginária

Devo ser o único tolinho à face da terra a achar - como sabem, o português gosta de «achar» e, mais ainda, de dar a conhecer os seus «achamentos», não vá o mundo sofrer dessa subtracção – devo ser o único, dizia eu, a achar moderadamente obscenas as aparições dos «agentes» culturais em jornadas de «apoio» ao Dr. António Costa, esse indesmentível «gajo porreiro» da democracia portuguesa.

(É também sabido que o português gosta muito de «apoiar». É uma coisa que lhe está no sangue: «apoiar». No âmbito em apreço, a tendência é de associação: «apoia-se» em congregação, não vá a solidão tecê-las.)

Não querendo pôr em causa o arraial, pergunto: que é feito do homo culturales bicho-do-mato, anti-sistema, revoltoso, para sempre entregue à pálida solidão criadora (e assim sucessivamente)? Finou-se. Faleceu. Bateu as botas. Agora é só alegria, confraternização e pancadinhas nas costas. O Sr. Botelho cineasta, por exemplo, que ainda recentemente arrecadou apoios de natureza a mais diversa – na forma e no sujeito, incluindo o «apoio» pecuniário da CML, presidida pelo Dr. Costa – não teve pejo em despejar um muito jeitoso panegírico sobre “o Costa e o Zé Sá Fernandes”. You scratch my back, I’ll scratch yours. O que prova que o pudor é qualidade em avançado estado de rarefacção.


O que nos salva nestes relapsos públicos laudatórios, é podermos observar o lado cómico-trágico do exercício. Por entre o tilintar do vermute e uns pastéis de ansiedade, a trupe da cóltura ainda não se deu conta de que não vai poder esperar muito do Dr. Costa, quando este ocupar o alopécio cargo. A conclusão é trágica: a aritmética não quer nada com a Cultura.

1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

:-)
Apoiar neste caso tem a ver com poia...
José

11:26 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Powered by Blogger Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado sob uma Licença Creative Commons.